sexta-feira, 18 de julho de 2008

Novas luvas

As luvas foram compradas, e num canto foram deixadas por uma mente que não cessa procurar novas sensações. Até aquele momento realmente não tinham significado algum, além de serem bonitas e descoladas. Até aquele momento...
Logo, foram pegadas, apalpadas e percebidas pelo tato e olfato, além de em seu tolo mistério compreenderem um milhão de novas sensações.
Como seria digitar com luvas? E urinar? Ou gritar com as malditas enfiadas nas mãos? Como seria acordar com elas, dormir com elas, viver 24h por dia tirando-as apenas para evitar que se molhassem, e logo se tornassem de um conforto absoluto em um desconforto gelado, ou para fazer atividades que as pudessem sujar?
Muitas perguntas surgiram, muitas perguntas respondidas com o simples vestir daquela simples peça de vestuário. Logo, elas estavam perfeitamente encaixadas nas mãos... e no dia.
Encaixaram-se com perfeição no almoço, nos desenhos feitos, no livro lido, no controle da TV.
Encaixaram-se perfeitamente nos anseios, nas lástimas, nas agonias, nos vazios. Enfim, naquele espacinho que ficava entre a alma e a existência cotidiana e sem aventuras. As luvas se tornaram a aventura maior, seu simples vestir se tornou o maior segredo do mundo.
Conforme o tempo foi passando, logo não se dava mais pra separar o que era luva do que era mão, o que era pano do que era pele, o que era osso do que era fio, fibra com fibra, moldando o que agora era uma nova manifestação do sentir pelas mãos.
Logo, as luvas cresceriam, tomariam todo corpo; se expandiriam num campo semi-cíclico de experimentações e de minutos arrastados, seriam não apenas luvas, mas parte importante do que acontece num dia. As luvas saberiam os segredos, saberiam o momento certo para libertar as mãos de seu casulo térmico.
Talvez se tornassem uma obceção, uma loucura se ver sem elas. Parte do corpo que não pode mais ser retirada, como o estômago ou o encéfalo.
Mas no fim, que diferença realmente fazia? Já estavam vestidas, acopladas, e o resto, só o tempo diria.

Um comentário:

Shift disse...

Li TuDu NaUm MiGuxA!!!!!!!